Começou ontem (9), em Brasília, a 15ª edição do Festival Cara e Cultura Negra. Durante 14 dias, três espaços da capital (Teatro Nacional Cláudio Santoro, Cine Brasília e espaço cultural Renato Russo) vão receber apresentações musicais, seminários, bate-papo, literatura, moda, gastronomia e oficinas práticas relacionadas ao tem desta edição: Contemporaneidade Afrodiaspórica. Todas as apresentações são gratuitas.

Dentro da programação do festival, ocorrerá o Encontro Nacional Pensamento Negro Contemporâneo, de 18 a 20 de setembro. O objetivo do encontro é divulgar a produção académica de intelectuais comprometidos com temas como a cultura africana e a estética negra. Serão sete mesas redondas e 24 palestrantes.

Para a coordenadora geral do projeto, Flávia Portella, o festival, que deve atrair 20 mil pessoas, é uma oportunidade para produtores e artistas da capital: “O objetivo do festival é reunir produtores culturais de Brasília e do Brasil, e promover esse intercâmbio, de divulgar a história e a cultura afro-brasileira”.

Alunos da rede pública de ensino terão acesso gratuito aos eventos. “O festival disponibilizará, ónibus e visitas guiadas para que esses alunos de escolas públicas do DF, possam participar dessa grande programação’’, disse Flávia.

Entre as atrações principais estão a atriz e cantora Zezé Motta, cantando Caetano Veloso, Luiz Melodia, Jards Macalé, Elizeth Cardoso, entre outros. Confira a programação do festival.

Publicidade