O cantor boa-vistense Boni Oliveira já tem no mercado o seu primeiro trabalho discográfico “Santa Bárbara”, que retrata “com orgulho, todo o amor” à sua ilha natal, Boa Vista.

“Santa Bárbara” é uma homenagem ao pai, João de Deus Oliveira, que já tem 101 anos, e a sua mulher Auriza Pires Oliveira, explicou Boni Oliveira, em declarações à Inforpress.

Todas as dez canções que compõe o CD, nomeadamente “Sementinho”, “Tradição d´nos terra morna”, “Minininha nova”, “Pobreza”, “Vida difícil” – são mornas e coladeiras, escritas pelo próprio intérprete.

O autor contou à Inforpress que faz críticas sociais nas suas canções e se inspira, essencialmente, na Boa Vista, para compor e cantar “com muito amor” a ilha que o viu nascer e crescer.

“Canto Boa Vista com orgulho que não falta para lhe dar o valor que tem. A ilha é uma terra maravilhosa e fantástica. Sabe bem apreciar as suas paisagens que são encantadoras”, contou o cantor, que faz a anologia a sua música, que depois de conhecer a ilha, “hora di bai é bem difícil”.

Aliás, para ele, a prova deste encanto pela ilha está “no sucesso do videoclipe” de “Santa Barbara”, canção que fala da sua zona, já disponível na plataforma YouTube, onde, segundo disse, “está a ser bem aceite”.

Boni Oliveira é proveniente de uma família com tradições musicais, principalmente seu tio, Nha Vau, compositor que tem como referência.

Aos 25 anos, Boni Oliveira percorreu as ilhas de São Vicente, Sal e Santiago para chegar no final do concurso Todo Mundo canta, nos anos 90.

Actualmente, frequenta os hotéis e bares da ilha de Boa Vista para segundo ele, fazer o que mais gosta: “cantar o tradicional e, sobretudo, a ilha de Boa Vista”.

O cantor reconheceu que “não é grande tocador”, mas disse que faz o suficiente para musicalizar as suas próprias composições.

Publicidade