A inscrição no projeto Open Heritage, juntamente com outros 26 monumentos em todo o mundo, ocorreu por ocasião do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, celebrado a 18 de abril, podendo, a partir de agora, a história da “cidade-berço” cabo-verdiana ser conhecida, em 3D, através da plataforma da CyArk do Google ou descarregada para dispositivos móveis e computadores.

Segundo nota do Governo de Cabo Verde, a recolha das fotografias da Cidade Velha foi iniciada em março de 2015, pela CyArk, em parceria com o African Heritage Fund.

Foram recolhidas imagens da Catedral da Cidade Velha (Sé), da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, do Forte Real de São Filipe e da Praça do Pelourinho.

“Quatro monumentos de extrema importância na edificação da Cidade Velha, da história do povo cabo-verdiano. Estes monumentos preservam a memória do nascimento e da construção do país, marcada pelo seu processo de desenvolvimento”, adianta a nota.

O objetivo do projeto Open Heritage, gerido pela CyArk, é criar um arquivo digital do património mundial que permita a melhor conservação do património.

“A inscrição nesta lista é um reconhecimento da universalização e visibilidade para Cidade Velha e para todo o percurso da nação”, prossegue a nota.

Cidade Velha foi a primeira cidade construída pelos europeus, tornando-se na primeira capital do arquipélago, título que manteve até 1770, quando a capital do país passou a ser a Praia de Santa Maria, atual cidade da Praia.

O sítio histórico foi erigido no século XV para servir de ponto de abastecimento para o comércio de escravos entre África e América.

Em 2009, foi classificada como Património Mundial da Humanidade da Organização das Nações Unidas para a Ciência, Educação e Cultura (UNESCO).

A CyArk é uma organização sem fins lucrativos fundada em 2003 para registar digitalmente, arquivar e compartilhar a herança cultural e histórica mundial, tendo já documentado mais de 200 monumentos históricos nos sete continentes.

Publicidade