O Conselho de Ministros aprovou quarta-feira, 11, a convenção de estabelecimento entre o Estado e a empresa Aquasun Energia e Água, que prevê um investimento de 22 milhões de euros na área agro-industrial em Santo Antão.

Em conferência de imprensa hoje, o ministro de Presidência de Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, explicou que se trata de um projecto estruturante para Cabo Verde e para Santo Antão, em que se pretende implementar um programa de investimento no sector agro-industrial e agro-pecuária.

“É um investimento de cerca de 22 milhões de euros [aproximadamente 2,4 milhões de contos] financiados com recursos próprios e alheios que tem a finalidade de criar mais recursos para o desenvolvimento sustentável e participar na otimização do sector agro-industrial”, precisou

O projeto prevê a construção e a operacionalização de um parque solar híbrido e solar foto voltaico, a construção de infraestruturas elétricas de cablagem de média tensão, de uma central de água dessalinizada com capacidade de produção de 3.500 metros cúbicos diários de água potável exclusivamente para as áreas de agricultura e pecuária.

Igualmente previsto está a construção e construção e a operacionalização de um centro hidropónico e construção de operacionalização de um centro agro-industrial, criando assim as conduções para a prática de agricultura na ilha de Santo Antão, aumentado também a penetração das energias renováveis e aproveitar as potencialidades em termos de dessalinização da água.

A convenção de estabelecimentos ora aprovada pelo Governo vai garantir isenções aduaneiras e fiscais à empresa na importação de materiais destinado a construção das referidas infraestruturas.

O projeto vai igualmente permitir a criação de 100 postos de trabalho de forma direta, declarou a mesma fonte.

Durante a reunião do Conselho de Ministros foi ainda aprovada a construção de mais dois blocos habitacionais na ilha da Boa Vista no valor de 238 mil contos.

Esse investimento enquadra-se, segundo Fernando Elísio Freire, na estratégia do Governo de erradicar, com o tempo, as construções informais e as barracas na ilha da Boa Vista

“Depois de ter conseguido a requalificação do bairro de Boa Esperança e disponibilizado lotes para construção, estamos agora a dar passos no sentido da construção de dois lotes de habitação no valor global de 238 mil contos”, indicou

O primeiro lote tem um valor global de 130 mil contos e o segundo lote de 107,9 mil contos o que, na perspetiva do ministro, vai permitir que, com a dinâmica económica na Boa Vista, com o aumento do número de turistas, o aumento do número de voos e deslocalização de serviços, as pessoas possam encontrar todas as condições para desenvolverem as suas atividades profissionais na ilha.

Os dois blocos, que serão construídos com recurso ao Orçamento do Estado, deverão ficar concluídos no próximo ano, conforme as previsões do Governo.

Publicidade