O festival internacional de poesia (Txon-poesia) vai reunir a partir do dia 16 próximo, no Mindelo e no Paul, mais de 30 artistas para homenagear o escritor Arménio Vieira, disse hoje o coordenador-geral do evento.

A segunda edição desta “festa da palavra”, segundo José Pinto, informou em conferência de imprensa, pretende ser um “momento de partilha” entre artistas nacionais e internacionais, numa perspetiva transdisciplinar e intercultural.

Sendo assim, que, ajuntou, recebem mais de 30 poetas e artistas de países como Guiné-Bissau, Angola, Portugal, Espanha e maioritariamente de Cabo Verde.

Este certame, que neste ano vai homenagear o poeta Arménio Vieira, o primeiro cabo-verdiano a receber o Prémio Camões, e que está pensado, segundo a mesma fonte, numa “lógica de participação”.

“De facto temos conseguido o nosso objetivo, que é aumentar o interesse pela leitura e pela escrita, numa forma das pessoas se interessarem pela partilha da palavra, mas do que força-las”, lançou este responsável, para quem este festival internacional de poesia tem sido um “trabalho colaborativo e participativo”.

E destas sinergias, reforçou José Pinto, que se fará o Txon-poesia 2019, tido como um “momento único” na cidade do Mindelo, que o acolherá em diversos palcos.

As atividades do festival iniciam com o “Pré-txon”, que terá arranque na segunda-feira com oficinas no Centro Cultural do Mindelo.

Mas, o pontapé propriamente dito será na quinta-feira, 16, com o lançamento no Mindelo do livro “A sedutora tinta das minhas noutes”, de Jorge Carlos Fonseca, seguido da apresentação de um documentário.

No dia 17, vai ser exibida a segunda antologia dos novos poetas de nacionalidade cabo-verdiana, no Centro Cultural do Mindelo, no mesmo dia em que será lançado o livro de poemas de Vasco Martins, acompanhado de um concerto do artista.

O programa compõe-se ainda de “Roteiro poético”, conversas, concertos, stand de livros, instalações e performances de rua.

O encerramento no Mindelo está marcado para o dia 19, com um concerto de Caplan Neves e Dy Fortes, na Academia Livre das Artes Integradas do Mindelo (ALAIM), única actividade a ser paga, com ingressos de 400 escudos.

A semelhança da primeira edição, o Txon-poesia, nos dias 20 e 21, desloca-se ao concelho do Paul, para marcar, conforme José Pinto, uma “presença mais reforçada” com contação de histórias, performances, teatro e ação poética de rua.

Publicidade