A informação foi hoje avançada pelo presidente do Conselho de Administração do CFL, Júlio Bango, que esteve a visitar a obra.

Os trabalhos, em curso há dois meses, compreendem o troço entre a Estação Terminal de Malanje e o Centro de Grande Estocagem da Sonangol, a petrolífera estatal.

Segundo Júlio Bango, citado pela agência noticiosa angolana, Angop, atualmente, os combustíveis são transportados de Luanda até à Estação Terminal de Malanje e de lá o produto é transferido para camiões cisternas que vão descarregar nos tanques da Grande Estocagem.

A empreitada naquele traçado, que nunca funcionou desde a sua reabilitação em 2010, inclui a desmatação, colocação de britas e abertura de valas de drenagem de águas residuais.

Júlio Bango avançou que, numa primeira fase, o centro vai receber dois comboios semanais com 14 cisternas cada.

O responsável da empresa pública adiantou que o CFL continua a procurar condições para aumentar a sua capacidade produtiva e melhorar as dos trabalhadores que, recentemente, realizaram uma greve para exigir aumentos salariais de 80% e cuja resposta terá de ser dada até ao início de março.

Publicidade