A Guiné-Bissau, que participa pela segunda vez consecutiva nesta competição (as duas únicas em que se apurou para a fase final) deu bastante luta aos superfavoritos Camarões, que, apesar de terem disposto de várias oportunidades para golo durante a primeira metade da partida, não conseguiram fazer abanar as redes dos ‘djurtus’.

Porém, na segunda parte, Yaya Banana abriu o marcador com um forte cabeceamento aos 66 minutos na sequência de um pontapé de canto e, apenas três minutos depois, Stephane Bahoken ampliou a vantagem para os ‘leões indomáveis’, aproveitando um ressalto na área da Guiné-Bissau.

A formação guineense, que conta com vários jogadores que atuam em Portugal, ainda se lançou em busca de outro resultado que não a derrota, mas até ao final não foi capaz de concretizar nenhuma oportunidade de golo.

Ainda assim, esteve muito perto de marcar em duas ocasiões. Primeiro, Piqueti, aos 74 minutos, cabeceou ao poste esquerdo da baliza defendida por André Onana, o guarda-redes titular da formação holandesa do Ajax que disputou este ano a final da Liga dos Campeões frente ao Liverpool.

Depois, quase ao cair do pano (90+1), Juary Soares surgiu isolado dentro da área dos Camarões após um canto marcado por Zezinho e rematou forte de primeira, mas a bola rasteira saiu ligeiramente ao lado do poste esquerdo de Onana.

Com esta entrada em falso na CAN2019, a Guiné-Bissau ocupa a última posição do grupo F, sendo que o Gana e o Benim – o próximo adversário da seleção orientada por Baciro Candé, jogam ainda hoje, também na cidade egípcia de Ismailia.

Jogo no Estádio Ismaília, em Ismaília.

Camarões – Guiné-Bissau, 2-0.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

1-0, Yaya Banana, 66 minutos.

2-0, Stephane Bahoken, 69.

Equipas:

– Camarões: André Onana, Yaya Banana, Michael Ngadeu-Ngadjui, Ambroise Oyongo, Andre-Frank Zambo, Arnaud Djoum (Stephane Bahoken, 67), Christian Bassogog, Joyskim Dawa, Maxim Choupo-Moting (Olivier Boumal, 79), Georges Mandjeck e Karl Toko (Clinton N’Jie, 67).

Selecionador: Clarence Seedorf (Holanda).

– Guiné-Bissau: Jonas Mendes, Nadjack, Rudinilson, Juary Soares, Mamadu Candé, Pelé, Zezinho, Piqueti (Jorginho, 76), Manconi, Toni Silva (Mama Baldé, 71) e Frederic Mendy (Joseph Mendes, 81).

Selecionador: Baciro Candé (Guiné-Bissau).

Árbitro: El Jaafari (Marrocos).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Rudinilson (58), Michael Ngadeu-Ngadjui (78) e Olivier Boumal (85).

Publicidade