O Canadá apresentou esta sexta-feira uma queixa contra os Estados Unidos perante a Organização Mundial do Comércio (OMC) após a decisão norte-americana de impor taxas às importações de aço e alumínio canadianos. “Esses direitos alfandegários, impostos unilateralmente sob o pretexto de que garantem a segurança nacional dos Estados Unidos, não respeitam nem as obrigações comerciais internacionais americanas nem as regras da OMC”, declarou a ministra dos Negócios Estrangeiros canadiana, Chrystia Freeland.

Para além da União Europeia, o Governo norte-americano decidiu igualmente não prolongar a isenção temporária concedida ao Canadá e ao México sobre a imposição de taxas de 25% sobre o aço e de 10% sobre o alumínio importados para os Estados Unidos.

Em resposta, o Governo de Justin Trudeau decidiu impor direitos alfandegários à entrada de produtos norte-americanos por uma soma semelhante de 16,6 mil milhões de dólares canadianos (11 mil milhões de euros).

Para além das “medidas de represália”, Chrystia Freeland pediu à OMC para “efectuar conservações com os Estados Unidos relacionados com a imposição dos direitos alfandegários punitivos sobre as importações de aço e alumínio provenientes do Canadá”. A ministra sublinhou ainda que o Canadá “vai trabalhar em estreita colaboração com a União Europeia, que também depositou na OMC uma queixa contra os Estados Unidos.

 

Publicidade