Nazira Abdula considerou preocupante o número de casos de violência doméstica em Moçambique, quando falava no lançamento do Plano de Ação e Resposta contra a Violência Baseada no Gênero 2019-2022.

Nazira Abdula assinalou que o aumento do número de vítimas de violência baseada no gênero mostra a magnitude do problema e a consciência pública sobre a necessidade de denúncia.

“Apesar dos progressos alcançados na consciencialização social sobre a necessidade de denúncia e combate, muitas vítimas continuam sem reportar os maus-tratos a que têm sido sujeitos”, frisou.

Nazira Abdula adiantou que a violência baseada no gênero tem afetado maioritariamente as mulheres, incluindo as raparigas, e a maioria dos agressores são pessoas próximas das vítimas, nomeadamente parceiros.

“A dependência económica da vítima em relação ao agressor é um dos fatores de inibição da queixa contra maus tratos”, assinalou Nazira Abdula.

Publicidade