Depois do sucesso do anterior disco “Cartel d’Amor”, o músico espera apresentar um álbum mais voltado para os problemas sociais. O disco, disse, está a ser produzido com conteúdos sobre o dia-a-dia dos angolanos.

Os temas, explicou, têm conteúdos que podem ajudar a sociedade, em particular a juventude, a mudar de comportamento. Doravante, Cef utilizará a música como forma de sensibilizar e mobilizar os jovens para a importância de ações positivas, em prol do desenvolvimento no país.

Sem avançar nomes, o músico manifestou a intenção de ter a participação apenas de dois artistas no próximo disco, que comportará dez temas. Para atingir a qualidade de sonoridade pretendida no CD, Cef garantiu que trabalhará com diferentes produtores para melhorar a qualidade do projeto discográfico. O disco está a ser produzido totalmente no país.

O músico chamou atenção dos colegas para os cuidados a ter com um sucesso temporário, que pode ser um fator negativo para quem pretende consolidar a carreira artística, quer no mercado nacional, quer no internacional. “A procura de novas sonoridades musicais e a transmissão de mensagens construtivas vai continuar a ter a mesma linha de pensamento do disco anterior”, defendeu o músico.

Carlos Fernando Tanzi “Cef” tem uma carreira artística de mais de uma década, nove das quais como guitarrista ritmo e solo. O músico conquistou, em 2012, uma das categorias do concurso Top Rádio Luanda, a de Voz Revelação Masculina.

Cef, terceiro classificado do Top dos Mais Queridos, edição 2016, com o tema “Atrofiar”, é autor dos discos “Botão de Rosas”, lançado em 2013, e “Cartel d’Amor”, 2017.

O cantor tem vários sucessos, com destaque para “Mulher Tem Força”, “Está a me Treinar” e “Dica dos Papoites”, canções que retratam o quotidiano angolano, o amor e o incentivo à juventude.

Publicidade