De acordo com a agência EFE, a festa “artística, cultural e de resistência” que assinala a liberdade de Lula da Silva começou pelas 12:00 locais de hoje [15:00 em Lisboa] na praça de Nossa Senhora do Carmo, no centro da capital do estado de Pernambuco.

A iniciativa, uma homenagem que foi agendada quando Lula ainda estava preso, inclui mais de 40 atrações culturais, a maioria das quais atuações de músicos como Chico César.

Na praça onde decorre a festa, várias pessoas vestem t-shirts vermelhas com o rosto de Lula estampado e há cartazes com a frase “Lula Livre”, descreve a EFE.

O calor intenso que se regista hoje no Recife não refreou o entusiasmo dos presentes, que gritam “resistência” e “Lula livre”, quando os artistas apelam por um país justo, com oportunidades, sem racismo e com igualdade de direitos.

Luiz Inácio ‘Lula’ da Silva, de 74 anos, que governou o Brasil entre 2003 e 2010, foi preso em abril do ano passado após ter sido condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), num processo sobre a posse de um apartamento, que os procuradores alegam ter-lhe sido dado como suborno em troca de vantagens em contratos com a estatal petrolífera Petrobras pela construtora OAS.

O antigo chefe de Estado cumpria pena em regime fechado de oito anos e 10 meses de prisão na cidade de Curitiba desde 07 de abril do ano passado, por corrupção.

No entanto, Lula da Silva foi libertado no dia 08 de novembro, um dia após o Supremo Tribunal Federal decidir anular prisões em segunda instância, como era o caso do ex-governante.

O Supremo alterou um entendimento adotado desde 2016, decidindo que réus condenados só poderão ser presos após o trânsito em julgado, ou seja, depois de esgotados todos os recursos, com exceção de casos de prisões preventivas decretadas.

Publicidade