De acordo com um comunicado divulgado pelo gabinete do chefe do Executivo, o encontro realizou-se na seda do Governo, “no qual, ambos afirmam manter uma boa comunicação e cooperação, no sentido de trabalharem juntos para uma transição bem-sucedida”.

Depois de concluídos os procedimentos legais, o Governo de Macau “submeterá o respetivo relatório ao Governo Popular Central, propondo a nomeação do novo Chefe do Executivo”, apontou Chui Sai On.

Por outro lado, de acordo com as autoridades do território, Ho Iat Seng prometeu manter “uma comunicação estreita com o Gabinete do Chefe do Executivo, no sentido de garantir uma transição ordenada sob os esforços de um trabalho conjunto”.

O ex-presidente da Assembleia Legislativa (AL) de Macau Ho Iat Seng foi no domingo eleito o chefe do Executivo do território e vai tomar posse no dia 20 de dezembro, substituindo Fernando Chui Sai On, há uma década no cargo.

Ho Iat Seng, de 62 anos, único candidato ao cargo de chefe do Executivo após ter recebido o aval de Pequim, foi eleito com 392 votos a favor, sete em branco e um nulo de uma comissão eleitoral composta por 400 membros, representativos dos quatro setores da sociedade.

A Lei Básica de Macau (mini constituição) define os quatro setores da sociedade como: industrial, comercial e financeiro; cultural, educacional, profissional; do trabalho, serviços sociais, religião; representantes dos deputados à Assembleia Legislativa e dos membros dos órgãos municipais, deputados de Macau à Assembleia Popular Nacional chinesa e representantes dos membros de Macau no Comité Nacional da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês.

Poucas horas mais tarde de ser eleito, o Gabinete para os Assuntos de Hong Kong e Macau do Conselho de Estado chinês considerou Ho Iat Seng “está em sintonia com o Governo central”.

Em comunicado, o porta-voz do Gabinete, Yang Guang, enalteceu o “amor à pátria e a Macau” do futuro chefe do Executivo e a sua confiança no Governo de Pequim.

“Ho Iat Seng tem boas capacidades de governação e o apoio das gentes de Macau”, afirmou.

“O resultado eleitoral mostra que é reconhecido por todos os setores da sociedade”, acrescentou.

O futuro chefe do Governo do antigo território administrado por Portugal estreou-se como deputado em 2009, ano em que foi eleito para o cargo de vice-presidente da AL.

Quatro anos depois, em 2013, Ho Iat Seng foi escolhido para presidente daquele órgão. Até abril deste ano foi um dos 175 membros do Comité Permanente da Assembleia Nacional Popular chinesa, o órgão máximo legislativo da China.

Publicidade