A cidade da Praia vai contar até final deste ano com uma marina com capacidade para 150 embarcações de recreio, a primeira fase de um megaprojeto turístico em curso e que envolve um investimento de 57 milhões de euros.

Segundo informação avançada esta quarta-feira pelos promotores cabo-verdianos do “Gamboa Plaza Shopping & Hotéis”, à margem da visita ao local do vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, esta primeira fase antecede um projeto global que em dois anos envolve ainda a construção de dois hotéis, de quatro e cinco estrelas, com um total de 450 quartos, centro de convenções e restaurantes, na capital cabo-verdiana.

“O setor do turismo na cidade da Praia e na ilha de Santiago vai ganhar uma nova dinâmica com este investimento de padrão elevado”, destacou Olavo Correia, depois de visitar a empreitada, numa das mais conhecidas praias da capital.

Para o governante, este projeto, promovido pelo investidor cabo-verdiano João Fernandes Freire, “é estruturante para a ilha, para a cidade da Praia e para o país”.

“Nesta visita pude constatar que as obras da primeira fase do projeto, ‘Gamboa Beach Club Marina’, têm decorrido a bom ritmo, e estima-se a conclusão ainda este ano. Esta marina terá capacidade para 150 embarcações de pequeno e médio portes. A par, está a ser levado a cabo toda requalificação da praia da Gamboa, visando a valorização do espaço”, explicou ainda o vice-primeiro-ministro.

Esta marina será a primeira de duas previstas a curto prazo para a cidade da Praia, integradas em projetos turísticos na zona da Gamboa.

O governo cabo-verdiano prevê que as receitas do turismo renovem em 2020 máximos históricos, chegando aos 430 milhões de euros, o equivalente a quase 23% de toda a riqueza produzida no país. As previsões constam dos documentos de suporte da lei do Orçamento do Estado para 2020, colocando o turismo, como já acontece há vários anos, como a principal fonte de riqueza do país. Cabo Verde contou com mais de 750 mil turistas em 2018 e a meta do governo é ultrapassar um milhão de turistas anuais em 2021.

Para 2020, o governo estima que as receitas turísticas cresçam 10,6%, face a 2019, para 47.918 milhões de escudos (430 milhões de euros). Neste cenário do governo, as receitas do turismo passam de um peso de 21,9% no Produto Interno Bruto (PIB) de 2019, para 22,7% este ano.

Em 2015, as receitas com o turismo rendiam 30.427 milhões de escudos (273 milhões de euros), o equivalente a 19,2% do PIB cabo-verdiano. A procura turística por Cabo Verde, segundo a previsão do governo, deverá aumentar este ano 6%, liderada pelos turistas de Portugal e do Reino Unido, mas também de França e da Alemanha.

Publicidade