Segundo o diretor de comunicação e imagem do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes (CFM), Jacob Hipólito, o funcionamento daquela linha ferroviária será retomado com a partida do comboio de Moçâmedes para o Lubango, capital da Huíla, concluídos que ficaram hoje os trabalhos de remoção dos escombros.

Jacob Hipólito, citado pela agência noticiosa angolana Angop, referiu que o trabalho para a reposição da circulação do comboio esteve a cargo de uma equipa técnica da empresa chinesa que é responsável pela manutenção da linha férrea.

O responsável sublinhou que os constrangimentos foram rapidamente superados, porque a linha férrea, com um traçado de 260 quilómetros entre a Huíla e o Namibe, não sofreu qualquer dano.

O acidente ocorreu a 04 deste mês, com a colisão entre um comboio de carga e outro de manutenção, devido a um erro humano, como assumiu a direção do CMF, que provocou 17 mortos e 12 feridos, na localidade do Munhino, município da Bibala, província do Namibe.

Publicidade