A sucessão na liderança da Sonae foi feita a pedido da Efanor, a ‘holding’ da família de Belmiro de Azevedo (que detém 53% da Sonae SGPS, 63% da Sonae Capital e 69% da Sonae Indústria), segundo o comunicado do Conselho de Administração da Sonae.

A escolha de Cláudia Azevedo, filha de Belmiro de Azevedo (que morreu em novembro de 2017), acontece “na sequência da vontade manifestada pelos engenheiros Paulo Azevedo e Ângelo Paupério de, após o termo do atual mandato, passarem o testemunho das funções executivas até agora exercidas”, explicou, por seu lado, a Efanor.

Em justificação da escolha hoje conhecida, o Conselho de Administração da Sonae SGPS considerou que Cláudia Azevedo tem “um percurso profissional notável no Grupo Sonae que se tem caracterizado pela gestão de portfólios diversificados e pela internacionalização dos negócios de várias participadas”, pelo que tem “experiência e aptidões particularmente adequadas para esta função”.

Já a Efanor mostra a sua “total concordância” com a escolha de Cláudia Azevedo, considerando também que “se adequa de modo particular ao perfil mais recentemente assumido pelo Grupo”.

Cláudia Azevedo era, nos últimos anos, presidente executiva da Sonae Capital (empresa com negócios em hotelaria, fitness e energia), cargo a que já renunciou para preparar a presidência executiva da Sonae SGPS, que assumirá em 2019.

Para a liderança da Sonae Capital foi escolhido Miguel Gil Mata, soube-se também hoje.

Até agora, Paulo Azevedo (filho de Belmiro de Azevedo e irmão de Cláudia Azevedo) e Ângelo Paupério partilhavam a presidência executiva da Sonae SGPS.

Estes continuarão nos órgãos de topo da Sonae, mas como administradores não executivos, devendo nos próximos meses fazer a transição de pastas.

Paulo Azevedo é presidente executivo (CEO na sigla em inglês) da Sonae desde 2007. Em 2015, passou a ter Ângelo Paupério como co-CEO (presidente executivo em conjunto).

Nesse ano, Paulo Azevedo assumiu também a presidência do Conselho de Administração da Sonae, substituindo o pai, Belmiro de Azevedo.

As informações hoje divulgadas ao mercado indicam ainda que o Conselho de Administração da Efanor vai propor aos seus acionistas o alargamento do número dos seus membros, recomendando a eleição de Carlos Moreira da Silva e Ângelo Paupério para a administração da ‘holding’ familiar.

As ações da Sonae subiram hoje 0,19% para 1,03 euros e as ações da Sonae Capital avançaram 0,21% para 0,94 euros.

Publicidade