“A polícia continua a trabalhar neste caso pois temos um segurança do estabelecimento que continua fugitivo”, disse Mateus Mindu, porta-voz do comando da polícia da província de Manica.

O comerciante chinês, Yong Ehen, terá sido assassinado pelas 22:00 de quinta-feira, quando estava a conferir as receitas do dia.

Uma testemunha contou à Lusa que um supervisor de uma empresa privada de segurança, que prestava serviços ao estabelecimento, se escondeu no interior do estabelecimento, supostamente em conluio com o guarda de serviço naquele dia.

O guarda pôs-se em fuga quando se apercebeu que o supervisor tinha esfaqueado mortalmente o comerciante chinês.

“Quando a polícia chegou local, o comerciante já estava morto” , referiu Mateus Mindu.

O supervisor “mostrou alguma resistência às ordens policiais e porque não sabíamos se tinha outro instrumento além da faca, acabou alvejado mortalmente”, acrescentou.

Publicidade