A segunda reunião da Confederação Lusófona de Treinadores (CLT), que decorre até sexta-feira, vai deliberar sobre a formação e qualificação daqueles agentes desportivos, com o objetivo de “tornar o desporto da Lusofonia mais forte”.

“Nesta reunião, pretendemos fechar o processo de equivalência na formação nos diversos países da Lusofonia, o reconhecimento da profissão e propostas legislativas que sejam comuns”, afirmou o presidente da CLT, Pedro Sequeira, antes do arranque da reunião, que tem lugar em Lisboa.

O dirigente mostrou-se otimista quanto ao futuro dos agentes desportivos da Lusofonia e apontou como objetivo comum tornar os países da CPLP mais fortes na vertente desportiva.

“Se isto funcionar bem, e o nosso investimento está a ser feito nesse sentido, vai melhorar os treinadores e os atletas destes diversos países. Além disso, vai tornar o desporto da Lusofonia mais forte relativamente aos países de outros continentes. Essa é a nossa ambição”, transmitiu.

Apesar das diferenças culturais, Pedro Sequeira acredita que a união entre os países da Lusofonia pode ser alcançada de forma muito simples: “respeitando a autonomia de cada país”.

“Um erro que cometemos no passado, mas que já não cometemos, foi impor modelos do país A, B ou C. Por exemplo, Angola e Brasil são os países da Lusofonia que ganham mais medalhas nos Jogos Olímpicos, mais do que Portugal. Portanto, não faria sentido Portugal impor o seu modelo, apenas por ter um modelo legislativo mais avançado”, referiu.

Por seu lado, o presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), Vítor Pataco, destacou a importância dos treinadores no desenvolvimento dos jovens e assegurou que a entidade a que preside está empenhada em acompanhar a atuação da CLT.

“A Confederação Lusófona de Treinadores é um dos projetos que estamos empenhados em acompanhar, porque os treinadores são agentes que mexem com os jovens e com o desenvolvimento de cada país. Queremos dar o passo em frente no sentido de a nossa comunidade poder promover a formação e qualificação de treinadores. São eles que modificam os comportamentos dos jovens”, disse.

A segunda reunião da CLT decorre entre hoje e sexta-feira, numa unidade hoteleira de Lisboa, contando com a presença de representantes de Portugal, Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau e Moçambique.

Uma terceira reunião já está igualmente agendada para junho de 2019.

Publicidade