O Conselho Cristão de Moçambique manifestou-se hoje disponível para mediar crise interna na Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), onde um grupo de dissidentes exige a renúncia do presidente do partido, ameaçando voltar às armas.

“É nossa vontade [mediar a crise], mas não há nada que mostre que isso possa ocorrer”, disse à Lusa Felicidade Xerinda, presidente do Conselho Cristão de Moçambique.

O desentendimento no seio da Renamo provocou dissidência de parte da sua ala militar, que diz não concordar com os termos do processo de Desmilitarização, Desarmamento e Reintegração (DDR) e exige a renúncia do presidente do partido, Ossufo Momade.

Publicidade