O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, anunciou hoje dois novos casos de infeção por covid-19 em Angola, elevando o número total para 86.

Trata-se de uma mulher angolana de 45 anos, residente em Sapu, (município de Viana, Luanda) e que contactou com um dos casos do cordão sanitário da Clínica Multiperfil.

Devido aos seus vários contactos, as autoridades angolanas instituíram também um cordão sanitário no condomínio onde vive, adiantou Franco Mufinda.

O segundo caso, um homem de 36 anos, morador na ilha do Cabo, resultou de contacto direto com um outro infetado.

Angola regista atualmente 86 infetados, dos quais 4 óbitos, 18 recuperados, e 64 ativos incluído um que “requer atenção especial”.

Foram colhidas mais de 10 mil amostras, das quais 9667 negativas e 86 positivas, estando as restantes em processamento.

Encontram-se em quarentena institucional 1044 pessoas.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 369 mil mortos e infetou mais de 6 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 2,5 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.410 pessoas das 32.500 confirmadas como infetadas, e há 19.409 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Em África, há 4.069 mortos confirmados em mais de 141 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné Equatorial lidera em número de infeções (1.306 casos e 12 mortos), seguida da Guiné-Bissau (1.256 casos e oito mortos), Cabo Verde (435 casos e quatro mortes), São Tomé e Príncipe (479 casos e 12 mortos), Moçambique (254 casos e dois mortos) e Angola (77 infetados e quatro mortos).

Publicidade