A Arábia Saudita apelou hoje à organização, na próxima semana, de uma cimeira “virtual” do G20, que integra as 20 principais potências económicas mundiais, dedicada à luta contra a pandemia do novo coronavírus.

“A presidência saudita do G20 comunica com os países do G20 para convocar uma cimeira virtual extraordinária (…) na próxima semana para avançar com uma resposta coordenada à pandemia de Covid-19 e às suas consequências económicas”, anunciaram as autoridades de Riade, num comunicado.

“Os dirigentes do G20 apresentarão um conjunto coordenado de políticas para proteger as pessoas e proteger a economia mundial”, asseguraram.

O anúncio ocorre após uma reunião em Riade, no final de fevereiro, dos ministros das Finanças e dos governadores dos bancos centrais dos países do G20, durante a qual foram expressas preocupações em relação à epidemia e às suas implicações económicas.

Desde então, as Bolsas em todo o mundo sofreram fortes quedas e os preços do petróleo caíram significativamente, relançando os receios de uma crise generalizada e suscitando críticas à inação do G20.

“Acho estranho, num momento em que são os países emergentes da Ásia que criam o problema (…), que o G20, que reúne todas as economias sistémicas do mundo, não seja mobilizado”, lamentou na segunda-feira Jean-Claude Trichet, antigo presidente do Banco Central Europeu (BCE).

“Encaro-o (…) como uma anomalia na atual situação”, adiantou.

Para Iann Bremmer, fundador do centro de reflexão Eurásia Group, “o G20 está a ‘perder o comboio’”.

A maioria dos analistas financeiros concordam que o novo coronavírus pode fazer cair o crescimento global numa recessão, ou seja, dois trimestres consecutivos de desaceleração económica.

Os Estados Unidos e o Reino Unido já anunciaram planos de vários milhares de milhões de dólares e de libras para apoiar a sua economia e empresas.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 200.000 pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.200 morreram.

Publicidade