O Brasil contabilizou 990 mortos devido à covid-19 nas últimas 24 horas e totaliza agora 55.961 vítimas mortais desde o início da pandemia no país, registada oficialmente em 26 de fevereiro, informou hoje o executivo.

Segundo o Ministério da Saúde, 497 dos 990 óbitos ocorreram nos últimos três dias, mas foram incluídos nos dados de hoje, estando ainda a ser investigada uma eventual relação de 3.844 vítimas mortais com a covid-19.

Quanto ao número de infetados, o país sul-americano contabilizou mais 46.860 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, num total de 1.274.974 pessoas diagnosticadas com a doença.

De acordo com a tutela, a letalidade da doença no Brasil, segundo país do mundo com mais mortos e infetados, desceu hoje para os 4,4%.

O Brasil tem uma incidência de 26,6 mortes e 606,7 casos da doença por cada 100 mil habitantes, numa nação com uma população estimada de 210 milhões de pessoas.

Segundo dados do Governo brasileiro, 697.526 pacientes infetados já recuperam da doença, sendo que 521.487 doentes continuam sob acompanhamento.

Geograficamente, o foco da pandemia no país é o estado de São Paulo, que concentra oficialmente 258.508 contágios e 13.966 vítimas mortais pela doença causada pelo novo coronavírus.

Pelo terceiro dia consecutivo, São Paulo atingiu um número recorde de casos diários confirmados, com a notificação 9.921 infetados nas últimas 24 horas.

Contudo, o governo estadual indicou que o número de novos casos está dentro das projeções esperadas para este mês.

Na lista das restantes unidades federativas mais afetadas pela pandemia está o Rio de Janeiro, que tem 108.497 pessoas diagnosticadas e 9.587 óbitos, sendo seguido pelo Ceará, que contabiliza 104.422 infetados e 5.920 mortos pelo vírus.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 490 mil mortos e infetou mais de 9,68 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Publicidade