As autoridades de saúde de Cabo Verde garantiram hoje que as mais de 60 pessoas infetadas com o novo coronavírus estão estáveis, sem situações graves, quando passa um mês desde que a doença foi confirmada no arquipélago.

“A situação clínica é estável. Não registamos caso graves neste momento, o que torna a situação um pouco mais positiva, se nós podemos dizer assim”, afirmou Jorge Noel Barreto, diretor de Serviço de Prevenção e Controlo de Doenças, na conferência de imprensa diária de balanço da pandemia de covid-19, na Praia.

O Ministério da Saúde confirmou hoje mais seis casos de covid-19 em duas ilhas do arquipélago, elevando o total para 67 casos, desde 19 de março.

Destes novos casos, cinco são referentes à ilha de Santiago – quatro na cidade da Praia e um no Tarrafal -, e um à ilha da Boa Vista. Os quatro confirmados na capital cabo-verdiana resultam da “investigação de contactos” de um caso anterior, o primeiro considerado de transmissão comunitária em Cabo Verde e que já deu origem a pelo menos outros 10 casos.

O Laboratório de Virologia do Instituto Nacional de Saúde Pública está agora a analisar amostras de outros cinco casos suspeitos da Praia e mais dois da Boa Vista, cujos resultados deverão ser conhecidos nas próximas horas.

O Tarrafal tornou-se hoje no quarto, de 22 concelhos no país (ainda com Boa Vista, Praia e São Vicente), a ter casos positivos de covid-19, explicou Jorge Noel Barreto.

“A doença já está a circular no país. Portanto, não será uma surpresa a identificação de mais casos daqui para a frente em várias zonas do país, mais especificamente nas ilhas que neste momento estão a registar casos”, acrescentou.

De acordo com o diretor de Serviço de Prevenção e Controlo de Doenças, é necessário evitar o “pânico desnecessário” junto da população, e mesmo a “estigmatização”, enquanto vão sendo divulgados novos casos da doença localmente.

“Não deve gerar pânico, deve gerar preocupação”, sublinhou.

O país regista atualmente 67 casos de covid-19, distribuídos pelas ilhas da Boa Vista (52), Santiago (14) e São Vicente (01).

Um dos casos da Praia (Santiago) já foi considerado como recuperado da doença e o primeiro caso do país, confirmado em 19 de março, na ilha da Boa Vista, terminou na morte de um turista inglês, de 62 anos.

Além disso, outros dois turistas estrangeiros que estavam na Boa Vista, com covid-19 diagnosticado, regressam ainda em março aos países de origem (Inglaterra e Países Baixos), pelo que permanecem ativos no país 63 casos.

O país iniciou no sábado um segundo período de estado de emergência, mantendo na generalidade as restrições de movimentos e de encerramento de empresas, bem como a obrigação geral de confinamento, em vigor desde 29 de março, mas diferenciado por ilhas.

Segundo determinação do Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, a prorrogação do estado de emergência é válida até às 24:00 de 02 de maio nas ilhas com casos de covid-19 diagnosticados e até às 24:00 do dia 26 de abril nas restantes.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 165 mil mortos e infetou quase 2,5 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Publicidade