O campeonato francês de futebol, assim como outras provas da época 2019/20 de desportos profissionais em França, não vão ser retomados, anunciou hoje o primeiro-ministro Édouard Philippe, num discurso à Assembleia Nacional sobre a pandemia de covid-19.

“A temporada 2019/20 de desportos profissionais, incluindo a de futebol, não poderá ser retomada”, anunciou o governante, à margem da apresentação do seu plano para o fim do confinamento na Assembleia Nacional, perante cerca de 75 deputados e vários ministros do Governo.

A decisão afeta igualmente o campeonato de râguebi, assim como a segunda liga de futebol, também este um escalão profissional.

“Quero deixar claro que eventos desportivos de grandes dimensões, e quaisquer eventos que juntem mais de cinco mil participantes (…) não podem decorrer antes de setembro”, acrescentou.

Nas medidas de fim de confinamento, fica ‘aberta’ a porta para que os ciclistas possam voltar aos treinos individuais em estrada, ainda que a suspensão, até setembro, de realização de grandes eventos, coloque em dúvida a realização da Volta a França, para já adiada para as datas de 29 de agosto a 20 de setembro.

A Liga Francesa de Futebol (LFP) tinha como plano o regresso aos jogos, ainda que à porta fechada, em 17 de junho, terminando em 25 de julho, uma possibilidade que parece gorada perante as declarações do primeiro-ministro.

O objetivo seria, também, terminar o campeonato doméstico antes do regresso das competições europeias, que a UEFA estima que possam decorrer em agosto, e dar várias semanas de treino aos jogadores no regresso.

Quando faltam 10 rondas para o fim, o Paris Saint-Germain está, com menos um embate disputado, 12 pontos à frente do segundo, o Marselha, do português André Villas-Boas.

Face à superioridade absoluta sobre a concorrência, ‘empurrado’ pelos milhões de Nasser Al-Khelaïfi, a situação é bem menos dramática para os parisienses, que venceram os últimos dois campeonatos e seis dos últimos sete, desde 2012/13.

Caso não haja campeão, o PSG voltará, certamente, para o ano com a mesma força para chegar ao nono cetro, igualar o Marselha e colocar-se a apenas um do Saint-Étienne, o recordista de títulos da ‘Ligue 1′, com 10, o último em 1980/81.

O conjunto comandado pelo alemão Thomas Tuchel também está nas finais da Taça de França (com o Saint-Étienne) e da Taça da Liga francesa (com o Lyon), bem como nos quartos de final da Liga dos Campeões, depois de ter afastado o Borussia Dortmund.

Édouard Philippe anunciou hoje que o fim do confinamento irá começar em França a 11 de maio, alertando que “é preferível” usar máscara, e que se mantêm, até 02 de junho, certas restrições de deslocações, mas lembrou que se os indicadores positivos da evolução da pandemia naquele país não se mantiverem, este não acontecerá.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 211 mil mortos e infetou mais de três milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Mais de 832 mil doentes foram considerados curados.

A França é o quarto país com mais mortos, com 23.293 óbitos em cerca de 166 mil casos, atrás apenas dos Estados Unidos (56.253 em cerca de um milhão de casos), Itália (26.977 mortos em quase 200 mil casos) e Espanha (23.822 mortos em perto de 211 mil casos).

Publicidade