O Governo angolano vai manter a cerca sanitária na província de Luanda, por mais 15 dias, devido ao alto risco de propagação do contágio da covid-19 nas comunidades, informou hoje a ministra da Saúde de Angola.

Sílvia Lutucuta frisou que o novo ciclo se inicia na quarta-feira e prolonga-se até dia 24 deste mês, ficando interdita a circulação e permanência de pessoas na via pública, exceto para deslocações urgentes, necessárias e inadiáveis.

A saída e entrada da capital angolana só é permitida aos profissionais de saúde, das forças de segurança e defesa e regresso ao local de residência habitual, devidamente justificados e autorizados.

Angola regista atualmente 96 casos de infeção e quatro mortos.

Quanto aos outros países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné-Bissau lidera em número de infeções (1.389 casos e 12 mortos), seguida da Guiné Equatorial (1.306 casos e 12 mortos), Cabo Verde (585 casos e cinco mortes), São Tomé e Príncipe (611 casos e 12 mortos) e Moçambique (453 casos e dois mortos).

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 406 mil mortos e infetou mais de 7,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

Publicidade