A cerimónia de celebração do 45.º aniversário da independência de São Tomé e Príncipe, em 12 de julho, será este ano reduzida a 20 convidados, devido à pandemia de covid-19 e a constrangimentos financeiros, anunciou o Governo.

“A pandemia de covid-19 e os constrangimentos financeiros que o país atravessa obrigam-nos a realizar uma cerimónia mais pequena e modesta, mas com a dignidade que a data merece, respeitando todas as medidas sanitárias em vigor”, indica uma nota hoje divulgada, que cita o presidente da comissão nacional, Wando Castro.

Wando Castro, igualmente ministro da Presidência do Conselho de Ministros, presidiu hoje uma reunião desta comissão para ultimar os preparativos para a celebração da efeméride mais importante do país, designadamente o programa oficial, orçamento e logística do evento.

“Atendendo o contexto especial que o país vive hoje, naturalmente que já não será possível realizar a grande festa que estava programada desde janeiro, na altura da constituição da Comissão Nacional”, explica o responsável.

A comissão nacional decidiu que “o ato central deste ano se realizará no salão nobre do Palácio do Povo com a presença de apenas 20 convidados, destacando-se os titulares dos órgãos de soberania, os líderes das bancadas parlamentares, os representantes das Nações Unidas e do Corpo Diplomático, os presidentes do Governo Regional e da Câmara Distrital de Água Grande”.

“Ficou também decidido que este ano não haverá a tradicional marcha da ‘Chama da Pátria’ nem o festival musical na Praça da Independência, como forma de se evitar grandes aglomerações de pessoas num período em que ainda vigora a situação de calamidade no país”, sublinha Wando Castro.

O presidente da comissão responsável pelas comemorações informou também que, no âmbito das comemorações, serão agendados debates temáticos na rádio e televisão públicas, “com o tema da independência como o pano de fundo”.

De acordo com o programa, no dia 11 de Julho, está prevista a inauguração de um exposição fotográfica com 100 fotos marcantes da história do país, que “serão depois compiladas num livro de registos a ser editado ainda este ano”.

No final da reunião de hoje foi desvendado o logótipo oficial do 45.º aniversário da independência e o slogan oficial, que de acordo com a nota, “remetem para as palavras-chaves do brasão oficial da República: Unidade, Disciplina e Trabalho”.

São Tomé e Príncipe regista, até ao momento, 717 casos de infeção e 13 mortos devido à covid-19.

Publicidade