O Governo de Macau anunciou hoje que pretende estender o montante dos empréstimos bonificados para as pequenas e médias empresas, em crise devido à pandemia da covid-19.

Macau “está a enfrentar o impacto da pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus e a situação difícil de exploração que as pequenas e médias empresas estão a encarar ainda não pode ser ignorada”, indicou o Conselho Executivo em comunicado.

As autoridades avançaram que, até ao dia 22 de junho, receberam “um total de 4.037 candidaturas ao Plano de Bonificação de Juros de Créditos Bancários para as Pequenas e Médias Empresas, envolvendo um montante de créditos bancários no valor de 5.354 milhões de patacas [597 milhões de euros]”.

Por essa razão, frisou o Governo, propôs à Assembleia Legislativa o aumento do “limite máximo do montante da garantia do Plano de Garantia de Créditos a Pequenas e Médias Empresas, de 900 milhões de patacas para 2.000 milhões de patacas [223 milhões de euros]”.

As autoridades do território querem ainda aumentar o “limite máximo do montante da garantia do Plano de Garantia de Créditos a Pequenas e Médias Empresas Destinados a Projeto Específico, de 100 milhões de patacas [11 milhões de euros] para 200 milhões de patacas [22 milhões de euros]”.

Hoje de madrugada em Macau os serviços de saúde anunciaram um novo caso de contágio da covid-19, o primeiro no território desde o dia 09 de abril.

Trata-se de um residente de Macau, de nacionalidade filipina. O homem, de 57 anos, explicou à Lusa fonte dos serviços de saúde, “chegou ao território por ferry (…) vindo de Manila, via Hong Kong”.

Desde 16 de junho e até 17 de julho está aberto um corredor especial entre o território e Hong Kong, para permitir a pessoas retidas pela pandemia o regresso a casa.

Macau foi dos primeiros territórios a identificar casos de infeção com a covid-19, antes do final de janeiro. O território registou então uma primeira vaga de dez casos. Seguiu-se outra de 35 casos a partir de março, todos importados, uma situação associada ao regresso de residentes, muitos estudantes no ensino superior em países estrangeiros.

A pandemia de covid-19 já provocou quase 484 mil mortos e infetou mais de 9,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Publicidade