A Câmara Municipal de Lisboa vai transformar o Clube Nacional de Natação num centro de acolhimento de emergência para as pessoas em situação de sem-abrigo, durante a pandemia da covid-19, que será aberto na terça-feira, foi hoje anunciado.

Em comunicado, o vereador dos Direitos Sociais e da Educação, Manuel Grilo (BE), afirmou que “os espaços da cidade, camarários e não só, têm sido mobilizados de forma ímpar para responder à população mais vulnerável, que vive na rua”.

O Clube Nacional de Natação terá capacidade para acolher 40 pessoas e estará aberto 24 horas por dia.

Depois do Pavilhão Municipal Casal Vistoso, do Pavilhão da Tapadinha e da Casa do Lago, a cidade de Lisboa abre o quarto centro de acolhimento de emergência.

No centro de acolhimento de emergência, as pessoas vão poder aceder a uma triagem de saúde, higiene pessoal, um banco de roupa, dormida e quatro refeições.

Na nota, a câmara alerta que as pessoas não podem escolher o serviço, como, por exemplo, fazer a refeição, adiantando que se trata de uma resposta de conjunto, pelo que só deverá ser “dada de forma integrada e total”.

De acordo com Manuel Grilo, a política de reintegração das pessoas em situação de sem abrigo continuará, após o momento de emergência, com o projeto ‘Housing First’ (projeto de habitação própria).

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 119 mortes, mais 19 do que na véspera (+19%), e registaram-se 5.962 casos de infeções confirmadas, mais 792 casos em relação a sábado (+15,3%).

Dos infetados, 486 estão internados, 138 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 667 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 31.000.

Dos casos de infeção, pelo menos 134.700 são considerados curados.

Publicidade