O cidadão português infetado pelo novo coronavírus que estava internado no hospital de Cumura, na Guiné-Bissau, morreu no domingo, revelou hoje o Centro Operacional de Emergências de Saúde (COES).

“Há mais um óbito. O cidadão português, de 71 anos, que estava internado no hospital de Cumura desde o dia 16 morreu ontem (domingo)”, disse o coordenador do COES, Dionísio Cumba, na conferência de imprensa diária sobre a evolução da pandemia provocada pelo novo coronavírus na Guiné-Bissau.

O cidadão português que estava internado em Cumura, a cerca de 10 quilómetros de Bissau, sofria de outras doenças.

O médico guineense afirmou também que o Laboratório Nacional de Saúde Pública não realizou análises a novas amostras devido à falta de material de laboratório e que o número de infeções se mantém em 1.178, incluindo 42 recuperados.

“As vítimas mortais aumentaram para sete”, informou.

Em relação aos internamentos, Dionísio Cumba precisou que estão internadas no Hospital Nacional Simão Mendes 15 pessoas infetadas, cinco das quais são cidadãos estrangeiros, incluindo um russo, três chineses e um natural da Mauritânia.

No hospital de Cumura, há 22 pessoas internadas, uma das quais em estado grave, acrescentou.

No âmbito do combate à pandemia, o Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, decretou o estado de emergência, até terça-feira, e o recolher obrigatório entre as 20:00 e as 06:00 no país.

Além daquelas medidas, as pessoas só podem circular entre as 07:00 e as 14:00 locais.

Em África, há 3.348 mortos confirmados em mais de 111 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné-Bissau lidera com 1.178 casos e sete mortos.

O país lusófono mais afetado pela pandemia é o Brasil, com 22.666 mortos e mais de 363 mil contaminados, sendo o segundo do mundo em número de infeções, atrás dos Estados Unidos da América (1,6 milhões).

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou quase 345 mil mortos e infetou mais de 5,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 2,1 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Publicidade