A OPEP reviu em forte baixa a previsão de crescimento da procura mundial de petróleo em 2020 devido à desaceleração económica mundial e à propagação para fora da China da epidemia do novo coronavírus, foi hoje anunciado.

No relatório mensal sobre o mercado do petróleo hoje divulgado em Viena, a Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) estima a partir de agora uma expansão da procura de 60.000 barris por dia e sublinha que, “tendo em conta os últimos acontecimentos, os riscos de deterioração mais do que compensam os indicadores positivos e deixam antecipar mais amplas revisões em baixa do crescimento da procura”.

Até agora a OPEP apontava para um acréscimo da procura de 990.000 barris por dia em 2020.

Na segunda-feira, a Agência Internacional de Energia (AIE) defendeu que o novo coronavírus provocará em 2020 a primeira contração da procura global de petróleo desde a recessão de 2009, avisando que o crescimento do consumo vai desacelerar nos exercícios seguintes.

No relatório mensal sobre o mercado do petróleo, a AIE também reconheceu que a situação ainda é muito incerta, também pela falta de acordo na sexta-feira entre os membros da OPEP e os 10 aliados liderados pela Rússia em relação a um corte da produção que por agora não vai ocorrer.

Publicidade