O ouro atingiu hoje um novo máximo dos últimos sete anos, estando a consolidar-se como ativo de refúgio devido aos receios da rápida propagação do coronavírus fora da China, em regiões como a Coreia do Sul, Itália e Irão.

Cerca das 12:00 em Lisboa, a onça de ouro estava a cotar-se acima dos 1.680 dólares, o valor mais alto desde março de 2013 e acima de 1.643,69 dólares na sexta-feira.

A rápida expansão do coronavírus fora da China e o aparecimento de surtos noutras regiões como Itália, Coreia do Sul ou Irão provocaram hoje a queda das bolsas em todo o mundo, levando os investidores a optar por ativos considerados seguros como o dólar, a dívida soberana e o ouro.

Publicidade