Na segunda-feira, dia em que era suposto ter início a sessão plenária — que já havia sido transferida de Estrasburgo para Bruxelas devido à situação crítica naquela região de França -, a Conferência de Presidentes do PE decidiu reduzir os trabalhos, previstos até quinta-feira, para uma só jornada, e sem votações no hemiciclo, como medida sanitária de prevenção.

“O Parlamento Europeu quer permanecer aberto e dar continuidade aos seus trabalhos, mas temos de tomar todas as precauções necessárias e reduzir ao mínimo as atividades”, justificou o presidente da assembleia, David Sassoli, ao anunciar as alterações à agenda da sessão plenária.

Além do adiamento de todas as votações previstas, serão realizados apenas os debates que o presidente do PE e os líderes dos diferentes grupos políticos consideraram “prioritários”.

Logo de manhã terá lugar uma discussão sobre o surto de Covid-19, o ponto da situação e a garantia de uma resposta europeia coordenada ao impacto do novo coronavírs sobre a saúde, a economia e a nível social.

Da parte da tarde, os debates serão sobre o Quadro Financeiro Plurianual da UE para 2021-2027 — à luz do fracasso do Conselho Europeu extraordinária de 20 e 21 de fevereiro último — e sobre a crise migratória na fronteira greco-turca e a resposta comum da União.

Publicidade