A Polícia Nacional de Cabo Verde deteve na última semana 40 pessoas por não cumprirem quarentena, imposta devido à covid-19, enquanto outras 24 foram detidas por desobediência ao estado de emergência, revelou hoje o comandante daquela força policial.

Os dados foram avançados pelo diretor nacional da polícia cabo-verdiana, superintendente geral Emanuel Moreno, após uma reunião, esta manhã, na Praia, entre as forças de segurança e o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, durante a qual foi feito um ponto de situação sobre o cumprimento do estado de emergência, que vigora desde 29 de março.

Explicou que no âmbito das ações de patrulhamento e fiscalização da polícia – 23 das quais realizadas em conjunto com as Forças Armadas -, 40 pessoas “foram detidas por incumprimento da quarentena” em todo o país até 04 de abril. No mesmo período, outras 24 por detidas por desobediência às autoridades, tendo sido apresentadas ao Ministério Público.

No âmbito das operações de controlo no trânsito, numa altura em que a circulação está fortemente limitada pelo estado de emergência, o comandante da Polícia Nacional explicou que 293 viaturas foram apreendidas em todo o país, “por circularem sem justificação”.

Acrescentou que a polícia realizou ainda cerca de 1.900 fiscalizações de espaços comerciais, tendo encerrado 1.206, tendo em conta as limitações ao funcionamento generalizado de empresas impostas pelo estado de emergência, levando a que 1.025 cidadãos tenham sido conduzidos às esquadras para identificação.

“Temos tido uma árdua tarefa em matéria de fiscalização, visando cumprir as normas decorrentes da situação do estado de emergência com vista a reforçar as medidas mais restritivas e excecionais para combater a situação, cada vez mais emergencial, prevenindo e reagindo de forma mais contundente aos incumprimentos em todo o território nacional”, afirmou Emanuel Moreno.

A Polícia Nacional conta com 1.896 efetivos policiais, que o comandante daquela força admitiu serem “poucos”, mas garantindo: “Estamos a fazer o melhor de forma a corresponder às exigências”.

Cabo Verde tem atualmente casos de covid-19 confirmados nas ilhas da Boa Vista (4), de Santiago (2) e de São Vicente (1). Um dos casos da ilha da Boa Vista, um turista inglês de 62 anos, acabou por morrer.

O país entrou hoje no nono, de 20 dias, de estado de emergência, declarado para conter a pandemia provocada pelo novo coronavírus, com a população obrigada ao dever geral de recolhimento, com limitações aos movimentos, empresas não essenciais fechadas e todas as ligações interilhas suspensas.

O arquipélago de Cabo Verde está fechado a voos internacionais, para travar a progressão da pandemia, e com o estado de emergência decretado no domingo foram também suspensos os voos entre ilhas.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 70 mil.

Dos casos de infeção, mais de 240 mil são considerados curados.

A pandemia afeta já 51 dos 55 países e territórios africanos, com quase 9.200 infeções e 414 mortes, segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC). São Tomé e Príncipe permanece como o único país lusófono sem registo de infeção.

Publicidade