Os primeiros 33 cidadãos retidos na Boa Vista desde 20 de março, quando a ilha cabo-verdiana entrou em isolamento devido à covid-19, começaram a regressar às ilhas onde residem, depois de testes negativos à doença, segundo a proteção civil.

A operação arrancou na terça-feira, com o primeiro grupo de nove pessoas a partirem, por via marítima, para a Praia, ilha de Santiago, e no dia seguinte outras 16 para a ilha do Sal. De acordo com uma informação disponibilizada hoje pelo Serviço Nacional de Proteção Civil e Bombeiros de Cabo Verde, no sábado partem os últimos oito elementos deste primeiro grupo autorizado, neste caso para a ilha de São Vicente.

A Boa Vista registou o primeiro caso da doença em Cabo Verde em 19 de março, um cidadão inglês de 62 anos que viria a falecer dias depois, e no dia seguinte foi posta em isolamento das restantes ilhas – para travar o alastramento da doença, para depois entrar também em estado de emergência, do qual saiu em 14 de maio.

Contudo, como mantém dois casos ativos – de um acumulado de 56, com foco num hotel da ilha, e sem novos doentes diagnosticados desde 27 de abril -, permanece isolada das restantes ilhas sem casos, que em 11 de maio começaram a retomar as ligações marítimas.

Este primeiro grupo de 33 pessoas regressa às ilhas de residência ao abrigo de um regime excecional criado pelo Governo cabo-verdiano à proibição de ligações interilhas e que obriga à realização prévia de testes de despiste à covid-19 e a parecer das autoridades de saúde.

Segundo a proteção civil, todos realizaram esses testes, que resultaram negativo para covid-19.

O diretor nacional de Saúde de Cabo Verde, Artur Correia, admitiu na segunda-feira que a ilha da Boa Vista deverá deixar esta semana de ter casos ativos da doença face à expectativa da alta médica dos dois últimos doentes diagnosticados.

“Com certeza que esses dois pacientes irão para casa”, afirmou Artur Correia, explicando que esta semana deverão ser feitos os últimos testes a estes dois doentes da Boa Vista.

Para serem considerados recuperados, os doentes têm de testar duas vezes negativo para covid-19.

Confirmando-se esse cenário, e depois de ainda em abril os únicos três casos de covid-19 diagnosticados em São Vicente terem sido considerados recuperados, restará a ilha de Santiago como a única com casos da doença, e por isso em estado de emergência pelo menos até às 24:00 de 29 de maio.

Cabo Verde regista um acumulado de 349 casos de covid-19, três óbitos e 85 doentes considerados recuperados. Permanecem ativos 259 casos, dos quais 250 na cidade da Praia, principal foco da doença no país.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 325 mil mortos e infetou quase cinco milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,8 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Publicidade