São Tomé e Príncipe aumentou de 299 para 441 casos positivos de covid-19, número que inclui 12 registados através de testes rápidos, nas últimas 24 horas, indicou hoje o Ministério da Saúde.

Nas últimas 24 horas foram realizados 31 testes rápidos, dos quais 12 deram positivo para infeção pelo novo coronavírus.

De acordo com a diretora dos Cuidados da Saúde, Feliciana Pontes, os casos recuperados aumentaram de quatro para 68 e o número de cidadãos que estavam em quarentena na Região Autónoma do Príncipe baixou de 41 para 11.

As amostras enviadas para o Instituto Ricardo Jorge, em Portugal, afinal foram 623, e não 613 como inicialmente foi anunciado pelo Governo, ou as 603 posteriormente corrigidas pelo ministro da Saúde.

De acordo com uma lista hoje distribuída, dos 623 testes analisados em Portugal, 184 deram positivo, 432 foram negativos e sete “não tem resultado”.

Na distribuição de “casos positivos” de covid-19 acumulados, o distrito de Agua Grande, o mais populoso do país, apresenta 262 doentes, Mé Zóchi, o segundo maior do país, tem 42, Cantagalo, a sul, regista 27, Lobata, a norte, contabiliza 17, Lembá tem 15, a Região Autónoma do Príncipe possui 29, e 49 pacientes não têm zona de residência identificada.

O número de óbitos continua em 12, e segundo as autoridades de saúde, no hospital de campanha estão 12 cidadãos internados com infeção pelo novo coronavírus, enquanto os pacientes nos serviços sintomáticos respiratórios foram reduzidos para dois.

Em África, há 3.478 mortos confirmados em mais de 116 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné-Bissau lidera em número de infeções (1.178 casos e sete mortos), seguindo-se a Guiné Equatorial (719 casos e sete mortos), Cabo Verde (390 casos e quatro mortes), São Tomé e Príncipe (441 casos e 12 mortos), Moçambique (209 casos e um morto) e Angola (71 infetados e quatro mortos).

O país lusófono mais afetado pela pandemia é o Brasil, com 23.473 mortos e mais de 374 mil contaminados, sendo o segundo do mundo em número de infeções, atrás dos Estados Unidos da América (1,6 milhões) e à frente da Rússia (mais de 362 mil).

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 346 mil mortos e infetou mais de 5,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Quase 2,2 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.342 pessoas das 31.007 confirmadas como infetadas, e há 18.096 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Publicidade