Todos os serviços e estabelecimentos encerrados em Macau vão retomar a atividade na próxima segunda-feira, embora com limitações e sempre sob medidas de prevenção, anunciou hoje o diretor dos Serviços de Saúde do território.

“As atividades comerciais e serviços vão ser retomados na segunda-feira, dado que há 23 dias Macau está sem novos casos confirmados” de coronavírus Covid-19 e Zhuhai, cidade chinesa adjacente ao território, “está sem novos casos há nove dias”, afirmou Lei Chin Ion.

A reabertura, a partir das 00:00 de segunda-feira (20:00 de domingo em Lisboa), terá “algumas limitações, com apenas alguns serviços a serem prestados, uma vez que a epidemia ainda não acabou”, salientou, na conferência de imprensa diária do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus.

O responsável acrescentou que vão continuar a ser observadas as medidas de prevenção adotadas pelas autoridades, como a utilização de máscaras, a higiene pessoal e desinfeção, a redução da concentração de pessoas, para metade da capacidade habitual do espaço em questão, a recusa de admissão de pessoas com sintomas como febre e tosse, a leitura da temperatura, a apresentação da declaração eletrónica e a manutenção de um metro de distância entre pessoas no mesmo espaço, entre outras.

Em 04 de fevereiro, o Governo de Macau decretou o encerramento de cinemas, teatros, estabelecimentos de saunas e massagens, bares discotecas e ginásios, entre outros espaços, para prevenir o risco de contágio com o Covid-19.

“São encerrados os cinemas, teatros, parques de diversão em recintos fechados, salas de máquinas de diversão e jogos de vídeo, cibercafés, salas de jogos de bilhar e de `bowling`, estabelecimentos de saunas e massagens, salões de beleza, ginásios de musculação, estabelecimentos de `health club` e `karaoke`, `night clubs`, discotecas, salas de dança e `cabaret`”, de acordo com o despacho.

O balanço provisório da epidemia do coronavírus Covid-19 é de 2.800 mortos e mais de 82 mil pessoas infetadas, de acordo com dados de 48 países e territórios.

Além de 2.744 mortos na China continental, onde o surto começou no final do ano passado, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França, Hong Kong e Taiwan.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência de saúde pública de âmbito internacional e alertou para uma eventual pandemia, após um aumento repentino de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão nos últimos dias.

Publicidade