O executivo decidiu ativar o protocolo depois do número de contágios se ter multiplicado por 17 nos últimos cinco dias, especialmente em torno da cidade de Daegu, no sudeste do país.

“O problema do Covid-19 atingiu um ponto de inflexão”, disse o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, citado pela agência Yonhap na reunião realizada com membros do seu gabinete para ativar o novo nível de alerta e na qual adiantou que “os próximos dias serão muito importantes” para a evolução da epidemia.

A Coreia do Sul anunciou hoje mais uma morte causada pelo coronavírus Covid-19, elevando para quatro o número de vítimas mortais no país, enquanto o total de pessoas infetadas é já de 556.

De acordo com o Centro de Prevenção e Controlo de Doenças (KCDC) sul-coreano, um homem de 57 anos morreu no sábado, no hospital Daenam, em Daegu, onde estiveram hospitalizadas outras duas vítimas mortais.

No mesmo hospital, foram registados 111 contágios, levando as autoridades a considerar que este centro médico pode ser um foco secundário de infeção.

O KCDC indicou também existirem mais 123 casos de infeção com o coronavírus de Covid-19, o que eleva o total de infetados a 556.

Das 123 novas infeções, 75 são fiéis da seita Shincheonji que assistiram a missas em Daegu, a 230 quilómetros a sudeste de Seul, informou.

Os membros da seita, que realizou este mês em que participaram mais de mil pessoas, visitavam regularmente o hospital Daenam para tarefas de voluntariado.

O KCDC mantém em quarentena mais de seis mil pessoas, numa altura em que a epidemia entrou numa fase de contágio local.

Publicidade