A Agência Reguladora Multissetorial da Economia (ARME) de Cabo Verde hoje anunciou que as tarifas de eletricidade mantém-se inalteradas no país e com valores de setembro do ano passado.

Numa nota publicada nas suas páginas oficiais, a agência cabo-verdiana indicou que a manutenção dos preços são referentes à Empresa de Eletricidade e Água (ELECTRA) e Águas e Energia da Boa Vista (AEB), e vão evitar os aumentos que deveriam vigorar a partir do dia 01 de abril. 

“Esta decisão da ARME em manter as tarifas em vigor desde setembro de 2019 visa mitigar o impacto da conjuntura internacional na vida dos cabo-verdianos, em virtude do novo coronavírus que atingiu o mundo de forma inesperada, cujas consequências socioeconómicas, quer nacionais, quer internacionais, são imprevisíveis”, explicou a agência. 

Cabo Verde registou até ao momento três casos confirmados de covid-19, todos na ilha da Boa Vista, que está em quarentena, e em turistas estrangeiros. 

Esta manhã, o ministro da Saúde do país, Arlindo do Rosário, anunciou hoje que o turista inglês, de 62 anos, o primeiro caso confirmando, faleceu na segunda-feira. 

“O quadro clínico do paciente tinha vindo a agravar-se e teve o desfecho, infelizmente, ontem [segunda-feira], às 23:00”, anunciou o governante, recordando que o cidadão inglês estava internado desde o dia 19 de março.

 Em conferência de imprensa realizada na Praia, Arlindo do Rosário explicou ainda que o acompanhante do turista inglês é outro dos casos confirmados da covid-19 em Cabo Verde, que permanece “assintomático”, juntamente com uma turista dos Países Baixos, que apresenta “um prognóstico reservado”. 

O governante reafirmou que estão assim confirmados dois casos da doença em Cabo Verde, ambos detetados em diferentes hotéis da ilha da Boa Vista, que se encontra em quarentena, para conter a pandemia. 

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 345 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 15.100 morreram.  

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Publicidade