O Ministério da Saúde timorense e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançaram hoje a primeira linha telefónica do país dedicada à saúde mental, no quadro das ações relacionadas com a covid-19.

O serviço telefónico gratuito – disponível no número 12123 – foi lançado oficialmente hoje em Díli pela diretora geral dos Serviços de Saúde, Odete Viegas, e pela responsável da UNICEF em Timor-Leste, Valérie Taton.

Odete Viegas sublinhou que a covid-19 “criou crescentes desafios” a toda a população, incluindo mudanças em hábitos de vida, medo e menos conexões com as famílias e amigos.

“Com esta linha direta, esperamos oferecer às crianças e jovens de Timor-Leste um novo caminho para procurar ajuda e apoio para superar alguns dos maiores desafios do nosso tempo”, considerou.

Valerei Taton recordou que “os efeitos da pandemia do novo coronavírus foram diversos e não discriminaram”, com impactos a vários níveis, incluindo na saúde mental dos habitantes do país.

“A UNICEF e os nossos parceiros têm trabalhado para garantir que as crianças e os jovens são apoiados em todos os aspetos das suas vidas que possam ter tido um impacto devido à crise, crucialmente, sua saúde mental”, referiu Taton.

“A grande população jovem de Timor-Leste é o futuro do país, por isso todos os aspetos da sua saúde são cruciais para o desenvolvimento do país. Esta linha direta será útil para si e para as suas famílias”, frisou.

A UNICEF apoiou o desenvolvimento do serviço telefónico com recursos de informação e tecnologia, incluindo computadores, monitores e outro equipamento, colaborando ainda em anúncios públicos, na rádio, televisão e redes sociais, para dar a conhecer a iniciativa.

O serviço telefónico vai ser operado conjuntamente pelo Ministério da Saúde e pela PRADET, uma organização não-governamental timorense que nos últimos 20 anos tem fornecido serviços psicossociais em Timor-Leste.

Chamadas para a nova linha telefónica serão atendidas por conselheiros de saúde mental treinados, “que podem oferecer suporte por telefone e encaminhamentos para outros serviços de saúde”, segundo um comunicado enviado à Lusa.

A linha telefónica disponibilizará ainda informações aos que procuram apoio para os principais problemas de saúde, como saúde materna, infantil e de recém-nascidos e nutrição.

O Governo do Japão financia a iniciativa, incluindo todo o material de informação, incluindo mensagens de rádio e vídeo.

Os três operadores de telecomunicações do país, Timor Telecom, Telcomcel e Telemor, apoiam igualmente a iniciativa.

Timor-Leste está atualmente sem casos ativos de covid-19, com o último caso positivo registado a 24 de abril, tendo recuperado os 24 doentes.

Cerca de 75 pessoas continuam em quarentena no país que está no terceiro período consecutivo de 30 dias de estado de emergência que, neste caso, termina a 27 de junho.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 385 mil mortos e infetou mais de 6,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 2,7 milhões de doentes foram considerados curados.

Publicidade