Moçambique registou, nas últimas 24 horas, mais 10 casos positivos de covid-19, elevando o total de infetados de 234 para 244, mantendo os dois óbitos registados, anunciou hoje a diretora de Saúde Pública, Rosa Marlene.

“São todos cidadãos de nacionalidade moçambicana e, do número total, cinco são assintomáticos e os outros apresentam sintomas leves a moderados”, disse Rosa Marlene, falando durante a atualização de dados sobre a pandemia no Ministério da Saúde, em Maputo.

Os 10 novos casos foram registados nas províncias de Nampula (dois), Cabo Delgado (cinco) e Cidade Maputo (três), estando entre os pacientes uma criança de menos de cinco anos.

“Os casos encontram-se em isolamento domiciliar e neste momento decorre o processo de mapeamento dos contactos”, declarou Rosa Marlene.

Dos 244 casos registados em Moçambique, 218 são de transmissão local e 26 são importados, havendo registo de dois mortos e duas pessoas internadas.

As autoridades indicam que 90 pessoas estão recuperadas.

Do total de casos já registados, 136 estão na província de Cabo Delgado, 13 em Nampula, dois na Zambézia, 47 na cidade de Maputo, um em Niassa, 22 na província de Maputo, 12 em Sofala, quatro em Tete, um em Manica, três em Inhambane e também três em Gaza.

Desde o anúncio do primeiro caso no país, a 22 de março, foram feitos pouco mais de 10 mil testes, tendo sido submetidas a quarentena cerca de 16 mil pessoas das mais de 800 mil rastreadas, continuando 1.300 a ser acompanhadas pelas autoridades de saúde.

Moçambique vive em estado de emergência desde 01 de abril até finais de junho, após duas prorrogações.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 364 mil mortos e infetou mais de 5,9 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 2,4 milhões de doentes foram considerados curados.

Em África, há 3.922 mortos confirmados em mais de 135 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné Equatorial lidera em número de infeções (1.306 casos e 12 mortos), seguida da Guiné-Bissau (1.256 casos e oito mortos), Cabo Verde (406 casos e quatro mortes), São Tomé e Príncipe (458 casos e 12 mortos) e Angola (77 infetados e quatro mortos).

O país lusófono mais afetado pela pandemia é o Brasil, com 27.878 mortos e mais de 465 mil contaminados.

Publicidade