A viagem do Papa Francisco a Malta, marcada para 31 de maio, foi cancelada devido à situação global causada pela pandemia causada pelo novo coronavírus, responsável pela covid-19, anunciou hoje o Vaticano.

Num comunicado de imprensa, o Vaticano informou que essa visita foi cancelada até uma data a ser definida com as autoridades locais e eclesiásticas do país.

A viagem estava marcada para 31 de maio e, além da capital, La Valletta, Francisco também visitaria Gozo, a maior ilha de Malta.

Francisco seria o terceiro Papa a visitar Malta, depois de São João Paulo II, em maio de 1990, e Bento XVI, em abril de 2010.

A viagem a Malta havia sido a única oficialmente confirmada para este ano.

O arquipélago abriga 483.530 habitantes em 316 quilómetros quadrados, tornando-o o menor país da União Europeia e o mais densamente povoado.

Devido ao coronavírus, que na Itália causou mais de 5.000 mortes e 56.000 infetados, o Papa atualmente mantém a audiência geral na quarta-feira e a Oração do Angelus de domingo sem fiéis, mas com transmissão ao vivo por vários meios de comunicação.

Espera-se que o mesmo aconteça com todos os eventos planeados da Páscoa.

Francisco também não recebe grupos atualmente e está limitado a visitas de uma pessoa.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 324 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 14.300 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, com a Itália a ser o país do mundo com maior número de vítimas mortais, com 5.476 mortos em 59.138 casos. Segundo as autoridades italianas, 7.024 dos infetados já estão curados.

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Publicidade