As vendas no comércio a retalho aumentaram, em maio, 17,8% na zona euro e 16,4% na União Europeia, com o alívio das medidas de confinamento da covid-19, depois de dois meses de fortes quebras, segundo o Eurostat.

De acordo com o gabinete estatístico europeu, as vendas a retalho subiram 17,8% em maio face a abril (depois de terem recuado 12,1% em abril e 10,6% em março) na zona euro e 16,4% na União Europeia (contrariando as quebras em cadeia de 11,4% em abril e 9,8% em março).

O Eurostat aponta a progressiva suspensão das medidas de confinamento devidas à pandemia da covid-19 como a razão da retoma das vendas do comércio a retalho.

Na variação homóloga, as vendas a retalho caíram 5,1% na zona euro e 4,2% na União Europeia (UE), abrandando as perdas face a abril e março, respetivamente, de 19,6% e 8,3% nos países do euro e 18,0% e 8,3% no conjunto dos 27 Estados-membros.

Na comparação em cadeia, as vendas a retalho aumentaram em todos os Estados-membros exceto na Bulgária, onde se mantiveram estáveis, com destaque para o Luxemburgo (28,6%), França (25,6%) e Áustria (23,3%).

Face a abril, as maiores quebras foram assinaladas na Bulgária (-20,4%), no Luxemburgo (-19,7%) e em Espanha (-17,9%), com as principais subidas a serem observadas na Alemanha (7,2%), na Dinamarca (6,6%) e na Áustria (4,8%).

Em Portugal, as vendas a retalho recuperaram 13,1% na variação em cadeia e caíram 12,7% face a maio de 2019.

Publicidade