As vendas do comércio a retalho caíram 21,6% em abril, face ao mesmo mês de 2019, uma descida principalmente nas vendas de produtos não alimentares, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Dos grandes agrupamentos que compõem o índice de volume de negócios no comércio a retalho, o dos produtos não alimentares foi, em abril, o que mais contribuiu para a descida, com uma redução homóloga de 34,3%, acentuando a queda de 16,8% registada em março.

No agrupamento dos produtos alimentares, o índice registou uma queda de 5% em abril, contra um crescimento de 9% em março.

Em termos nominais, o índice agregado passou de uma descida homóloga de 7,2% em março para uma de 23,9% em abril, com os agrupamentos de produtos alimentares e de produtos não alimentares com diminuições homólogas de 5,1% e 38,7%, respetivamente (variações de 8,8% e de -19,6% em março).

Em março, o volume de negócios no comércio a retalho já tinha contraído 5,6%, face a igual mês de 2019, contra um aumento homólogo em fevereiro de 8,9%, refletindo efeitos da pandemia da covid-19.

O volume de negócios em abril face a março registou uma queda de 17,5% depois de uma queda de 11,8% em março face a fevereiro.

Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas apresentaram descidas homólogas de 1,9%, 7,4% e 28,3%, respetivamente, quando em março tinham registado aumentos de 1,8% e de 2,9%, e uma descida de 1,2% em março, pela mesma ordem.

Publicidade