Em uma das resoluções foi referido que é necessário incentivar o secretariado-executivo da CPLP a robustecer as suas parcerias com o Escritório da Organização Internacional de Trabalho (OIT) e o Escritório da Organização dos Estados Ibero-Americanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI), em Lisboa.

Estas parcerias deverão desenvolver uma reflexão sobre a temática do “Futuro do Trabalho para os Jovens”, no âmbito da celebração do centenário da OIT, em 2019, com o intuito de promover a reflexão das vantagens económicas do empreendedorismo jovem e a sua inserção no mercado de trabalho em cada Estado-Membro.

O documento também referiu a adoção pela X Conferência dos Ministros da Juventude e Desportos da CPLP, do “Plano de Ação para a Juventude 2018-2022”.

A resolução ainda felicitou a secretariado-geral da Conferência dos Ministros da Juventude e do Desporto da CPLP pela parceria desenvolvida com o Organismo Internacional da Juventude para a Ibero-América (OIJ), tendo em conta a necessidade de criação de sinergias e a convergência de programas de juventude entre o espaço da CPLP e o espaço ibero-americano.

O documento saudou ainda a realização do evento alusivo aos 70 anos da assinatura da Declaração Universal dos Direitos Humanos, previsto para ocorrer em Cascais, em novembro de 2018, numa parceria a desenvolver entre o secretário-executivo da CPLP, a Secretaria Geral da Conferência dos Ministros da Juventude e do Desporto da CPLP e o Fórum da Juventude da CPLP, que contará com a presença de jovens dos espaços da CPLP, da Ibero-América, da Commonwealth e da Francofonia, reforçando assim a mobilização dos jovens na defesa e promoção de referenciais universais e humanistas.

Sobre a agenda digital, outra resolução aprovada referiu que foi tomado nota, com satisfação, da aprovação da “Agenda Digital para a CPLP”, pela X Reunião de Ministros das Comunicações da CPLP, realizada em Malabo, Guiné Equatorial, a 04 de junho de 2018.

O documento saudou ainda a aprovação pela X Reunião de Ministros das Comunicações da CPLP da “Declaração de Malabo”, que identifica os mecanismos para o acompanhamento e monitorização da implementação da “Agenda Digital para a CPLP”.

O bloco lusófono entende que a “Agenda Digital para a CPLP” deve ser entendida como um conjunto de princípios e práticas que poderão servir de referência aos Estados-Membros, como um guião estratégico em matéria digital para a formulação e implementação de iniciativas digitais.

Durante a XII conferência de chefes de Estado e de Governo da CPLP, que decorreu terça-feira e hoje, Cabo Verde assumiu a presidência rotativa da organização, por um período de dois anos, e com o lema “Cultura, Pessoas e Oceanos.

Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste são os Estados-membros da CPLP.

Publicidade