De acordo com a informação disponibilizada hoje pelo banco alemão, que divulgou hoje as condições da disponibilização de uma linha de crédito de mil milhões de euros ao setor privado angolano, os projetos têm de “garantir um aumento na oferta de bens, serviços e emprego para a população”, por um lado, e têm também de “melhorar a balança de pagamentos, ao apoiar projetos que ajudem a reduzir as importações ou promover as iniciativas relacionadas com as exportações”.

Por último, diz o Deutsche Bank, os projetos que beneficiem desta linha de crédito, que será gerida por cinco bancos angolanos, mas cuja decisão final de investimento será tomada pela sucursal espanhola do banco alemão, terão de “ter um impacto positivo nas vidas dos angolanos”.

Publicidade