São Tomé e Príncipe conta a partir de hoje com “Academia São-Tomense de Letras”, criada esta manhã em cerimónia testemunhada pelo primeiro-ministro, Bom Jesus e ministra da Cultura, Graça Lavres, dois dos 20 fundadores desta nova instituição que visa, sobretudo, a divulgação da literatura, cultura e língua são-tomense.

“Sinto-me honrado em ter sido convidado de fazer parte dos membros fundadores desta Academia São-Tomense de Letras que acaba de nascer”, disse Jorge Bom Jesus tendo acrescentado que “hoje não há progresso sem uma âncora no conhecimento científico, técnico e tecnólogo…”.

“Acho que ela [Academia] no futuro poderá ser um ex-libris de São Tomé e Príncipe” disse Jorge Bom Jesus, tendo sublinhado que “ a literatura é a minha área de estudo e na medida do possível darei toda minha contribuição e convidar outros intelectuais da CPLP e do mundo para que esta academia possa crescer e ter pernas para andar”.

Tendo defendido a necessidade de se estimular o movimento cultural, a escrita, debate e a interação de ideias, Bom Jesus disse que “ São Tomé e Príncipe sempre foi um País dos intelectuais e acho que não podemos deixar esmorecer esta identidade são-tomense e há vários nomes, certamente lá onde Alda esprito Santo, estiver, ela está muito contente de certeza”.

Em declarações a STP-Press, o presidente da Academia São-Tomense de Letras, Carlos Espirito Santo “Bené” disse que “além de estudos e divulgações nas áreas do direito, história, linguística e literatura”, esta instituição promoverá ainda abordagens “em geografia, sociologia e comunicação social bem como realização de estudos para editar e publicá-los dentro e fora do País”.

“ Vamos promover intercâmbios culturais com as academias congéneres, a academia cabo-verdiana de letras, a academia portuguesa de ciências, academia brasileira de letras, academia angolana, e sobretudo, a nível da CPLP” disse Carlos Espirito Santo “Bené”, que falou da organização de colóquios, seminários, conferencias privilegiando diversas áreas cientificas e homenagens as obras de actores nacionais e estrangeiros.

O acto da escritura aconteceu na manhã nas instalações Registo Civil afecto a Direcção de Registos e Notariado do ministério de Justiça, na presença dos membros fundadores que compõem a Assembleia Geral, o órgão máximo desta instituição que conta ainda com o conselho de Administração, o conselho Cientifico bem como  o Fiscal.

Publicidade