Uma delegação chinesa iniciou esta quinta-feira, na cidade da Praia, uma visita de três dias a Cabo Verde para fazer uma avaliação dos 15 anos do Fórum Macau no país e recolher contributos para futuras formas de atuação. A delegação, que é acompanhada pelo representante de Cabo Verde no Fórum Macau, Nuno Furtado, manteve ao início desta manhã um encontro com a agência de promoção de investimento Cabo Verde Trade Invest.

“O objetivo desta missão é fazer um trabalho de avaliação dos 15 anos do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial (Fórum Macau) entre a China e nos países de língua portuguesa e Macau e conhecer as perspetivas dos países sobre o desenvolvimento futuro do fórum”, disse aos jornalistas o chefe da missão, Yao Zhi Zhong.

O chefe da delegação sublinhou a importância de ouvir as perspetivas dos oito membros sobre o papel do Fórum, o que permitirá adequar o planeamento às expectativas dos países. “Decidimos avançar com um estudo sobre o que foram os 15 anos do Fórum de Macau e as perspetivas futuras. Ainda temos um longo caminho a percorrer e é necessário traçar novas estratégias de cooperação”, disse, por seu lado, Nuno Furtado, representante de Cabo Verde no Fórum de Macau.

A China estabeleceu a Região Administrativa Especial de Macau como a sua plataforma para o reforço da cooperação económica e comercial com os países de língua portuguesa em 2003, ano em que criou o secretariado permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Fórum Macau), que reúne ao nível ministerial de três em três anos.

A presidente da Cabo Verde Trade Invest, Ana Lima Barber, considerou que a missão servirá para perceber de que forma será possível melhorar a relação económica e comercial com a China. “Há várias áreas dentro deste vetor China/Países de Língua Oficial Portuguesa nas quais é importante incrementar esta relação”, disse, sublinhando a necessidade de o Fórum estar mais presente e de ser mais conhecido pelos empresários e instituições dos países.

A responsável pela Cabo Verde Trade Invest assinalou a posição estratégica de Cabo Verde e a importância de “trabalhar a sinergias” do país relativamente ao mercado africano. “O papel do Fórum é trabalhar no que precisamos de melhorar para que esta relação seja muito mais profícua, mais estreita e mais dinâmica. O Fórum Macau é extremamente importante neste estreitamento da relação de cooperação económica e empresarial entre os países de língua portuguesa”, considerou.

A delegação manterá encontros com organizações nas ilhas de Santiago e São Vicente, nomeadamente as câmaras de comércio, associações de jovens empresários, bem como as direções gerais do comércio, alfândegas e política externa. Também serão realizadas visitas ao Instituto Confúcio da Universidade de Cabo Verde, a empresas chinesas em Cabo Verde e ao empreendimento do empresário macaense David Chow, na cidade da Praia.

O programa de avaliação será realizado em todos os países enquadrados no Fórum Macau: Cabo Verde Timor-Leste, Brasil, Portugal, Guiné-Bissau, Moçambique, Angola e São Tomé e Príncipe.

Publicidade