Os mais de mil delegados da UNITA, maior partido da oposição em Angola, que vão hoje escolher o sucessor do presidente cessante, Isaías Samakuva, iniciaram hoje a votação depois das 13:00, processo que deve demorar pelo menos duas horas.

No último dia do XIII Congresso da UNITA, as cores do “Galo Negro”, o vermelho e o verde, que os 1.110 delegados presentes envergam, dominam hoje o complexo do SOVSMO no município de Viana, em Luanda, à medida que os eleitores convergem para as mesas eleitorais.

São provenientes das 18 províncias e do estrangeiro (incluindo Portugal, Espanha, França, Bélgica, Reino Unido, Holanda, Suíça, Estados Unidos da América, Zâmbia, República Democrática do Congo, Namíbia e África do Sul) e vão escolher entre os cinco candidatos que disputam o lugar de novo presidente da UNITA, o terceiro líder do partido fundado por Jonas Savimbi em 1966.

Na corrida à sucessão de Samakuva, que sai ao fim de 16 anos, estão o atual presidente do grupo parlamentar do partido, Adalberto da Costa Júnior, o vice-presidente, Raul Danda, o porta-voz da UNITA, Alcides Sakala, o deputado José Pedro Katchiungo e o general Abílio Kamalata Numa.

Os delegados estão divididos por dez mesas eleitorais e distribuídos por ordem alfabética, sendo o processo eleitoral acompanhado em cada mesa pelo presidente, secretário, vogais e delegados de cada candidatura.

No fim do ato eleitoral, o escrutínio é feito por cada mesa na presença dos delegados de lista que acompanham a contagem dos votos, devendo o vencedor ser anunciado logo a seguir, prevendo-se que o nome do novo líder da UNITA seja conhecido a partir das 17:00 (menos uma hora em Lisboa).

Publicidade