A deputada do Movimento para a Democracia (MpD) Filomena Gonçalves foi eleita sexta-feira em Abuja, Nigéria, para o cargo de presidente da rede dos parlamentares da CEDEAO para a luta contra a emigração clandestina.

A informação foi avançada na página da rede social dos deputados de Cabo Verde na CEDEAO, que adianta que a criação desta rede é uma resposta do Parlamento da CEDEAO à problemática da  emigração clandestina  que vem afetando a comunidade há vários anos.

“Há cerca de nove meses que a CEDEAO ensaia a criação desta rede, oficializada na última sexta-feira, em Abuja, Nigéria, onde funciona a sede do Parlamento da CEDEAO”, refere uma nota publicada na página dos deputados de Cabo Verde na CEDEAO.

A rede tem como principal objetivo minimizar a emigração clandestina, sobretudo para os territórios Europeus.

Filomena Gonçalves, citada na nota, afirma que os políticos devem trabalhar arduamente no sentido de garantir um “futuro melhor” particularmente para os jovens do Continente, que exigem atenção, sobretudo ao nível da educação, saúde, oportunidades económicas, paz e segurança.

“Nós, os políticos, devemos trabalhar no sentido de garantir um futuro melhor para toda a juventude africana.  África é um continente com todos os recursos possíveis e imaginários”, disse a deputada cabo-verdiana.

De acordo com a mesma fonte, esta eleição é mais uma conquista nacional e mais um destaque no plano diplomático ao nível de África.

Refira-se que Hélio Sanches, Lúcia dos Passos (Parlamento Panafricano) e Filomena Martins (CEDEAO) dirigem organizações na região.

Vários deputados assumem funções a nível do Parlamento da CEDEAO, nomeadamente o cargo de vice-presidente do Parlamento da CEDEAO, de presidente da Rede de Mulheres Parlamentares da CEDEAO, de vice-presidente da Comissão Especializada da Política Económica e Sector Privado, de relator da Comissão Especializada do Comércio e das Alfândegas e agora a Presidência da Rede Parlamentar da CEDEAO de Luta Contra a Emigração Clandestina.

Publicidade