O Bureu Político MPLA reconheceu esta terça-feira(10) que a difícil situação económico-financeira de Angola exige sacrifícios por parte de todos os seus filhos (…) Numa declaração tornada pública, o MPLA considera que o seu 63º aniversário se comemora “numa conjuntura desfavorável, derivada de uma profunda crise económico-financeira que provocou a desaceleração da economia nacional e o endividamento público, com reflexos negativos em todos os sectores da vida nacional”.

O documento refere que o MPLA comemora o 63º aniversário da sua fundação, conjugando uma trajetória de luta e de glórias, em prol da defesa dos superiores interesses de Angola e dos Angolanos. No comunicado , o BP diz que desde a sua criação, em 10 de Dezembro de 1956, o MPLA soube adaptar-se à conjuntura nacional e internacional, desempenhando sempre o papel de vanguarda do povo angolano, na perspetiva da edificação de uma sociedade baseada no desenvolvimento e estabilidade social, na democracia e na unidade nacional. o BP considera que o MPLA “é o partido que deu corpo ao manifesto do nacionalismo angolano, fazendo da conjugação da ação política, da união das vontades e da aglutinação da luta das várias forças nacionalistas, um amplo movimento popular de libertação de Angola contra o regime colonial português e de todas as outras formas de discriminação entre os homens”.

Para o partido no poder, o 10 de Dezembro de 1956 representa o espírito de coragem e de abnegação pelos valores da auto-determinação dos angolanos, pelo que o percurso histórico e revolucionário do MPLA é a mais pura expressão da bravura e do patriotismo do Povo Angolano, afirmando-se hoje como a maior força política do país, profundamente enraizado no seio das massas populares e que jamais abdicou dos ideais dos Pais Fundadores do Nacionalismo angolano: Liberdade, Progresso, Justiça Social, Humanismo, Paz, Solidariedade, Democracia e Unidade Nacional. Realça ainda que “o MPLA é o único Partido que verdadeiramente lutou pela independência nacional, pela defesa e consolidação da integridade territorial, pela reconciliação e reconstrução nacionais “inspirado nas mais legítimas aspirações do Povo angolano”.

No documento, o Bureau Político do MPLA reafirmou o seu “mais amplo e incondicional apoio” ao Executivo liderado por João Lourenço, encorajando-o a prosseguir com a implementação de medidas de políticas que visam inverter a atual situação, relançar e posicionar a economia nacional no rumo do progresso e do desenvolvimento, bem como devolver aos angolanos o legítimo sentimento de esperança em dias melhores. O partido no poder em Angola defende que a difícil situação económico-financeira de Angola exige sacrifícios por parte de todos os seus filhos, pelo que o Bureau Político do MPLA condena veementemente todas as ações que visam criar um clima de tensão social e de descrença nas mudanças políticas, sociais e económicas lideradas pelo Camarada Presidente João Lourenço, no intuito de melhorar as condições de vida de todos os angolanos e não apenas de uma minoria ligada às elites dominantes.

“O Bureau Político do MPLA exorta a todos os angolanos e, em particular, aos militantes, simpatizantes e amigos do Partido a honrarem todos quantos se sacrificaram para que hoje os filhos de Angola pudessem viver numa Nação livre e soberana, fazendo da comemoração desta gloriosa data um amplo movimento de mobilização patriótica e de unidade nacional para enfrentarmos e vencermos os desafios do presente e do futuro, sob a liderança do Camarada Presidente João Lourenço” conclui o comunicado.

Publicidade