A gala cujo  o  objectivo  foi eleger  a  melhor  composição, entre dez  concorrentes, o  corpo de júri  escolheu a letra composta  por  Dino  Ferraz  e  interpretada  pela  concorrente Carla  Moreno, como  a  vencedora  do Grande Prémio da  canção de Luanda  e  melhor  produção  na  21ª edição.

O  jurado  composto por Raul Fernandes, Alcino Semedo, Lito  Costa e Marta Santos,   atribuiu  o prémio de melhor  voz  e  letra, ao compositor  Né  Gonçalves, interpretada pela candidata Tyller, com a canção “Voa“.

Para  a categoria  Prémio LAC Unitel  foi  eleita, a  participante  Josina  Neto, que  interpretou o  tema “ Manu  Ndayê,  cuja  a  composição  é de autoria do  musico Calabeto,  e  para  a  classe  melhor  interpretação  venceu o  candidato Konstatino Chicato.

Segundo o regulamento, o Festival da Canção de Luanda privilegia a canção entendida como género literário do modo lírico, valorizando a melodia, a harmonia e o ritmo (lento e moderado).

Para  esta edição, a organização teve em conta um casamento entre o tradicional e o moderno ocidental, o  músico  convidado foi  o N’daka Yo Wini, considerado  um artista  investigador, que  tem como  linha  musical  o género  tradicional, que abriu  o  evento, com  interpretação de  mais  cinco  melodias.

Realizado por ocasião do aniversário da emissora Luanda Antena Comercial (LAC), a 25 de Setembro, o festival tem por objectivo incentivar a criação deste género, procurando uma simbiose entre o tradicional angolano e o moderno universal e apoiar o desenvolvimento de originais de qualidade.

É um concurso anual de compositores de canções, que abrange todo o território nacional e visa também contribuir para a consciencialização e respeito pelos valores artísticos da sociedade.

Publicidade